terça-feira, 15 de setembro de 2009

Encontro Marcado II



Mesmo sem nenhum movimento, senti a presença forte aos pés da cama. Meus batimentos se alteraram imediatamente. Tateei às cegas para localizar a pistola no criado mudo. Nesse processo derrubei o despertador, um copo dágua e a caixa de remédios que tomava para dormir.
- Nem se incomode, amigo. Não vai precisar disso.-Era uma voz rascante e curtida por centenas de anos de cigarro.
- Vou te furar filho da mãe!-bravateei ainda procurando a arma.
- Está aqui! -me mostrando a pistola e o pente.
- Achei melhor recolher isto antes que prejudicasse meu trabalho.
- Olha cara, tudo é negociável, tenho dinheiro guardado em outro lugar. -eu havia pego uma quantia considerável com um agiota que já vinha me ameaçando há semanas.
- Estás enganado. Nem tudo é negociável.
Que merda! Os desgraçados tinham me achado. Eu tinha uma vaga esperança que fosse só espancado.
- Olha, eu falei com o Cheique que ia pagar, é só uma questão de tempo, dias talvez.
- Especificamente no teu caso, o dinheiro não faz mais diferença alguma.
Era o fim. Acabava ali trinta e cinco anos de pilantragem. Restava agir com dignidade naqueles últimos momentos.
- Tudo bem, acaba logo com isso seu puto!
- Eu não tenho pressa, ainda restam alguns minutos. -meteu a mão no colete e puxou um relógio de bolso. Eu já não entendia mais nada. Será que queria me torturar psicologicamente?
Meus olhos já começavam a se acostumar com a penumbra. O velho tinha algo de familiar. De onde eu o conhecia? O cabelo grande e desalinhado, o rosto miudo e muito, mas muito enrugado era ornado por dois olhos de um preto reluzente e vivo, que lançava chispas de presunção, indolência e autosuficiência. Usava uma bandana e um inacreditável anel da caveira em um dos deformados dedos.
Keith Richards estava aos pés do meu leito prontinho para me matar. Definitivamente não era uma coisa corriqueira.
Antes que eu falasse ele disse.
- Escolhi esse personagem para parecer mais acolhedor ao amigo! Ele é um dos teus grandes ídolos,não é?
Surreal. Salvador Dali brincando de pintar minha vida em uma nuance desvairada.- ele continuou.
- Teu tempo esgotou. Sou quem vocês chamam de morte, mas acho simpático aquelas bobagens de ceifador com capuz e tudo.
- Quer saber de uma coisa, se veio realmente me matar, esta se saindo um grande canastrão. Vai te foder.
- Foder...foder... Sabe, em um certo onze de setembro eu tive que me desdobrar em muitos e estava realmente estressado. Quase não consegui cumprir minha missão e ainda pela tardinha teria que recolher um famoso cineasta. Antes de abordá-lo, espreitei atrás de uma cortina no suntuoso apartamento de Manhattan. Ele estava a conceder uma entrevista para um canal de tevê e fez um equiparação hilária entre o sexo e eu-"a diferença entre o sexo e a morte é que com a morte você pode faze-lo sozinho sem ninguém para rir de você!"- achei o máximo e resolvi poupá-lo. Ele anda até hoje por aí. Mas não se anime, ele se salvou pelo talento!
Se fosse realmente a morte, era um puxa saco de primeira.
- Está enganado.-conseguia ler meus pensamentos!- Estou nesse negócio desde o início dos tempos e aprendi a distinguir homens de valor da escória, não que faça diferença, pois sempre vencerei.
- E eu com certeza estou no rol dos abjetos?
- Preciso te responder? Ladrão, gigolô, dedo duro e o pior...tão sem graça!
Resolvi endurecer o jogo e provocá-lo com ironia.
-Você é tão previsível...
Checou o relógio, acendeu um cigarro e com uma voz roufenha de bluesman disse.
- Simbora, é agora...
Virou as costas e saiu naquele andar trôpego de velho pirata bêbado ao mesmo tempo em que uma dor lancinante explodiu em meu peito.

27 comentários:

video_aulas_2009 disse...

Muito bom o blog... parabenss!

30 e poucos anos. disse...

òtimo post ... diálogo de vida e morte em momentos de desespero pela vida.

Rodrigo Carvalho disse...

texto muito bem escrito!... Òtiiimo blog...

Tamo seguindo aqui.. Se der, segue a gente lá tbm... dá uma passada depois:

http://loboguaraideias.blogspot.com/

marjoriebier disse...

!!!

(me lembra o tom do Zé)


Legaus!

Betinho Cerri disse...

muito bom, o post!
Curti!

abr~


www.xaqueto.blogspot.com

Karina Kate disse...

parabéns pela tortura psicologica.. haha eu tenho raiva desses assassinos que ficam enrolando pra matar...

Murilo F. Souza disse...

ótimo história. gostei do 'o lutador' até mais!

Tute Braga disse...

Gostei, particularmente, da maneira como vc narrou a história toda... adoooro narradores mistos (em 1a e em 3a pessoas)!
Tira um pouco do afastamento da história, sabe? Gosto muito!
=)

Parabéns!

RONNY DIAS disse...

Trama interessante!!
O cineasta é o Woody Allen?!?
:D

Vinicius Colares disse...

"Keith Richards estava aos pés do meu leito prontinho para me matar."
é ótimo!!!!

VejaBlog - Seleção dos Melhores Blogs/Sites do Brasil! - disse...

VejaBlog
Seleção dos Melhores Blogs/Sites do Brasil!
http://www.vejablog.com.br

Parabéns pelo seu Blog!!!

Você está fazendo parte da maior e melhor
seleção de Blogs/Sites do País!!!
- Só Sites e Blogs Premiados -
Selecionado pela nossa equipe, você está agora entre
os melhores e mais prestigiados Blogs/Sites do Brasil!

O seu link encontra-se no item: Blog

http://www.vejablog.com.br/blog

- Os links encontram-se rigorosamente
em ordem alfabética -

Pegue nosso selo em:
http://www.vejablog.com.br/selo


Um forte abraço,
Dário Dutra

http://www.vejablog.com.br
....................................................................

GaB. disse...

gostei do blog, volto mais vezes.

KyllMila_Mandhalla. disse...

Ótimo texto!
Muito envolvente mesmo!
Parabéns!

:)

www.etudoquepenso.blogspot.com

Carlos Alberto Mota Candreva disse...

Morrer de infarto com a companhia da morte deve ser hilário..huashasuhuas

parbéns pelo texto
http://candrevasblog.blogspot.com/

squall_elfo disse...

foooooooooda

War Inside My Head disse...

Parabola comflitante, texto bem aspero...gostei da conotação emblematica entre vida e morte..o encontro marcado!

seguindo seu blog!
http://yaseryusuf.blogspot.com/

Rômulo Lopes disse...

Se for aconteceu algo parecido comigo vai ser difícil a morte escolher um disfarce... são tantos ídolos da música e do futebol. rsrs*

Adriano Viana disse...

Hehe "Você e tão previsisvel" Foi foda, bela tentativa! Abraço!

Adm. Marcelo Leite disse...

Belo blog!
Muito sucesso viu?
Abraçs

Tute Braga disse...

Obrigada pela dica e por retribuir a visita!
=)

Bjs

Fabricio bezerra da guia disse...

Suas historias são interessantes,eu não sei se são reais mas são boas

Avassaladoras Rio disse...

Querido amigo avassalador..Não sei é por viver no Rio de Janeiro e os ultimos dias especialemnte violentos me assustaram... amigos morrendo por nada! uma moto, uma merda de moto!!!que nem chegou a ser roubada... outras violencias... o traua é tanto que me angustiou até mesmo sua postagem... sinto, mas me deu uma angustia horrivel!!!é oque estou sentido mesmo...

Rafa disse...

Complexo em? òtima históra, título tb muito sugestivo....

Fábula “vampírica”...ou seria “vampirista”, quem sabe até “vampiresca”!
Olá!
Acabo de postar no meu blog o texto Fábula “vampírica”...ou seria “vampirista”, quem sabe até “vampiresca”!
Para acessar o texto o link direto é
http://cemiteriodaspalavrasperdidas.blogspot.com/2009/09/fabula-vampiricaou-seria-vampirista.html
Cemitério das Palavras Perdidas
http://cemiteriodaspalavrasperdidas.blogspot.com/

Guigo xD disse...

Cara,curti muito esse texto,você escreve muito bem :D

Tomara q tenha alguma continuação

http://ownedando.blogspot.com/

Vinicius Colares disse...

Putz, eu já tinha comentado outro dia nesse post, mas só agora eu percebi que é o próprio Keith Richards na foto!!!! hehehe!
são ótimos textos!!!

Rafa disse...

Acho que esse foi o texto que mais gostei, sobretudo pelo título, tb usei em um post recente

O príncipe bêbado e a plebeia equilibrista – Um encontro marcado
Olá!
Acabo de postar no meu blog o texto Fábula
Para acessar o texto o link direto é
http://cemiteriodaspalavrasperdidas.blogspot.com/2009/09/o-principe-bebado-e-plebeia.html
Cemitério das Palavras Perdidas
http://cemiteriodaspalavrasperdidas.blogspot.com/

Leonardo Pradella dos Santos disse...

ducaraleo...
quando crescer quero escrever que nem tu heheheh...
muito boa a cena... a idéia de morte como ídolo reconfortante é chocante..
de repente vc vê uma pessoa que sempre quis conhecer, e ela vem pra te comunicar do paletó de madeira...
genial

foi o texto que eu mais gostei, por enquanto...