terça-feira, 29 de setembro de 2009

O fim do mundo!



A notícia se espalhou como fogo em um rastro de pólvora.
No início, boataria, alguém, um primo de longe, em passeio, havia comentado, que em sua região, era o assunto em voga. Dessa forma, chegou até o padeiro, que contou para o Antônio da venda, que por sua vez, passou para a Gertrudes do seu Adamastor, de onde toda a cidade tomou conhecimento. Mas era boato, coisa de gente desocupada.
Quando o fato se confirmou, através de um noticioso da capital, o restrito e limitadíssimo universo da interiorana Santo Ângelo, entrou em colapso total. O empório esvaziou suas prateleiras e o alfaiate não vencia a demanda de encomendas de ternos pretos. Seus Malaquias, o alfaiate, conhecido pela avareza e ganância, tinha sentimentos contraditórios. Nunca vira tanto dinheiro na gaveta do velho balcão. Viveria para usufruir a presença reconfortante dos mil réis embaixo do colchão?
Todos queriam estar bem trajados, afinal um evento cósmico, que poderia varrer a cidade dos mapas não era algo comum. A grande maioria dava como certa o fim de sua jornada na vermelha terra missioneira. Além dos ternos, a sapataria do Cosme teve um movimento nunca antes registrado, e o velho mulato obrigou-se a contratar e ensinar o ofício a dois magrelas que residiam na vizinhança. Os munícipes queriam aguardar a chegada do terrível cometa,com nome gringo, elegentemente trajados.
Seu Sá, para descargo de consciência, confessou ao padre o assassínio de três cães, que embora não primassem pela robustez, ladravam a noite inteira na rua da Redução.
Dorival dos Santos, proprietário de uma loja de secos e molhados resolveu contar à devota esposa, que nas noites que saía para "fazer o balanço", na verdade, acabava caindo no porão do Chico Feio, onde andava perdendo muito dinheiro no carteado.
Etérea Fagundes tinha uma missão ainda mais penosa. Contar ao esposo a origem da alvura da pele do caçula Pedrinho.
Antoninho das Dores, o sacristão, vinha escutando o sibilar de um açoite e gemidos de dor, ao passar pela porta do aposento do padre Lara.
Bartolomeu Rezende, que junto com Floriano Bezerra e Nicolau Cortez representavam a "nova intelectualidade", também assíduos das boêmias mesas das casas mal-faladas e ateus fervorosos, foi visto rondando a casa paroquial durante vários dias, até que em um rompante adentrou com uma maçaroca de dinheiro nas mãos, atropelando as palavras e anunciando que queria comprar três rosários "para uma velha tia".
Bonifácio Gomes, funcionário do correio, de compleição magra, escasso de carnes e olhos de rato assustado, tirou as roupas, dobrou-as meticulosamente, e colocou-as sobre uma pedra. Em seguida, entrou nas águas frias do rio Ijuí, e foi caminhando até submergir totalmente, ignorando o fato de nunca ter aprendido a nadar.
Juvêncio Dias, pequeno criador de porcos no extremo leste da cidade, resolveu não mais matar os animais, iria a partir dali consumir só o que havia na despensa.
Antero Pitta, notório negador de contas, abriu o cofre escondido abaixo do assoalho do seu quarto,e retirou uma grande quantia. Iria, na tarde seguinte, fazer "um acerto,mulher!" com a imensa lista de credores.
Seu Gideão Varella,octagenário plantador de verduras, juntou os pertences mais necessários e os colocou na carroça junto à sua velha. Iria passar "uns dias!" na pequena propriedade rural para os lados do Comandaí, que se localizava em uma baixada. Talvez "o rabo do bicho não conseguisse atingí-los com rabetiada fatal".
E assim, as abnegadas almas, que residiam em Santo Ângelo Custódio, daquele inicio de século XX, esperavam ansiosos e tementes o seu fim do mundo...

40 comentários:

torradastostadas disse...

todo dia é o fim do mundo. o mundo como nós conhecemos, como já diria o REM... nossa constante mudança signfica sempre um novo começo. isso pode ser bom :)

Zulluh disse...

Tá aí, gostei!! Olhei os outros textos também e gostei. Tô te seguindo para poder ler mais. Estarei re-postando meus contos também, aguardo sua visita.

http://subversoz.blogspot.com/2009/09/agita-cantareira-uma-noite-frustrada.html

Wander Veroni disse...

Parabéns pelo conto! O legal que vc contou de forma muito humana como uma notícia se espalha pelo boca-boca.

Abraço

marjoriebier disse...

Tantos nomes... Um amigo meu gostaria disso, já que, imaginando personagens, nomeia os filhos que ainda não tem. Me-do!

(não consegui me ater ao foco... sorry)

†YaGo-SaN† disse...

muito bom o texto, acredito que em horas de desespero todos querems er perdoados xD
abraços!

http://wallnosekai.blogspot.com/

Paulo Giovanni disse...

ótimo conto.
Estou seguindo seu blog.


http://takecarro.blogspot.com/

seuvicio disse...

Camarado meu q costuma contar como lá na terra dos avós dele, lugarejo minúsculo e sem lei, durante os eclipses lunares o pessoal sai batendo panela pra espantar o bicho q comeu a lua.

Mônica Costa disse...

Como nos outros texto, está tudo muito bom! Gostei das descrições! Do enredo. E principalmente dos personagen que tornam a trama mais interessante ainda! Parabéns!

Inté mais vê...

Gustavo disse...

muito boom ' gosteeeei

www.worldmixbrazil.blogspot.com

Thaty disse...

Caaaaaaaaaaaara vc escreve muuuuuuuuito... Obrigada pela oportunidade de ler algo tão bom.. Sucesso

Vini e Carol disse...

Super interessante a história.
Só acho que o desespero das pessoas seria maior, e, provavelmente, elas não estariam preocupadas com roupas, comida e etc, até porque seria o fim do Mundo, não é mesmo? rs.
Abraço.

roberyk disse...

Aí está um tema que já causou muito rebuliço. Muito bem abordado. Em pouco espaço conseguiste desmascar muitas faces, as peversões, os pecados capitais. Parabéns pór mais esta brilhante criação.

Anderson Dias disse...

o fim do mundo ja passou

Rafa disse...

Caraca me senti dentro da parada, rs

http://cemiteriodaspalavrasperdidas.blogspot.com/

Thalisson Teixeira disse...

homi... nem fala em fim de mundo... apesar das barbaridades... tem muita coisa boa.

Karina Kate disse...

Caracaaaaaaa eu adorei demais!!! Lançar um história dessas em que o mundo está prestes a acabar e cada pessoa toma decisões diferentes que irão fazer alguma causa na hora do "impacto" que acabaria com a vida deles, é muito interessante... Só não curti o cara que matou o cachorro.. tadinhos...

Luís Pinochet disse...

Nós provocamos o fim do mundo e continuaremos provocando, não é disse que a maioria das pessoas tem medo. na verdade, poucos pensam nisso. Sua cronica ficou muito legal... ficou engraçado... só nao sei como eu acabaria com a minha vida ainda... penso nisso mais tarde kkkk

palavras ao vento disse...

como andam as coisas creio que logo esse dia vai chegar...mas se a gente soubesse que o mundo iria acabar amanha...ia ser uma confusão...

Francorebel disse...

Fim do mundo é o que acontece um pouquinho a cada dia, sem que ninguém perceba... abraço!...

@Filipe_e disse...

Interessante ver o fim do mundo com esses olhos '-'

Daniel A. S. disse...

Muito boa sua narrativa. a parte das confissãoes dos cidadão de Santo Ângelo ficou divertida.

http://daniel.a.s.zip.net

Seu Zé disse...

Seu Gideão é um ser tão comum que torna a vida monótona, deveria ter um emprego mais emocionante, plantar verduras deve ser cansativo

Fabricio bezerra da guia disse...

o fim do mundo começou quando Deus criou adão.acontece que cada vez mais ele se torna apocaliptico

Isabella Diniz disse...

ADOREI, muito bom. Não tem como não te seguir (:

beijinhos

Shay - disse...

Meus parabens! Como diria os franceses "magnifique"!

Como disse no comentário da "A complexa arte de amar", seu blog é muito bom, e vou visita-lo mais vezes! :)

Meus parabens, novamente! ^^

Beijos e boa tarde.

moderação cruel disse...

minha nossa! adorei de verdade esse texto. como que fica o final?

David Aragon disse...

Parabéns pelo texto, muito bom!

Felipe disse...

Realmente, como já disse em outros textos seu, você escreve extremamente bem e é por isso que sempre acesso seu blog. Muito bom mesmo! Como já disseram ai em cima, o Fim do Mundo é todos os dias!

http://cerebro-musical.blogspot.com

Diogo C. Scooby disse...

Desde criança falam nisso, tomara que chegue logo, to cansado de esperar "Ansioso e temente" já!

Avassaladoras Rio disse...

Querido amigo avassalador...Muito bom. Me lembrei de um livro que li na epoca do vestibular há milenios... Os Cavalinhos de platiplanto acho que do Jose Veiga. Eram prosas em realismo fantastico tal qual historias que crianças contam... cheias de verdade e imaginação.
procure o livro, voce vai gostar.

Leo Pinheiro disse...

No fim das contas todos são relatores do fim do mundo...

Porém, se o fim se anuncia, como os velhos mendigos de filmes norte-americanos dizem...

Acredite, não é de hoje. É paulatino.

Pessimista? Claro que não. Vou repetir o chavão (verdadeiro, diga-se): é um recomeço eterno!

SERJAO_O_MARMANJJUS disse...

o fim do mundo é particularmente diferente, cada um tem um fim próprio,
fiquei meio perdido, procurei outro texto pra ver se era continuação, só depois entendi a essencia do seu post.
muito boa narrativa.
normalmente as coisa acontecem assim mesmo, a tia de um amigo meu contou pra amiga da namorada do filho do ajudante do padeiro que o fim do mundo estava próximo.
isso é normal, sempre tem gente assim.

Ednalva disse...

Legal o blog, gostei da forma que vc escreve...Muiro legal mesmo!

SO.L. disse...

Ah, boa!

O ciclo não tem fim.

Zé Dylan Walker disse...

Baita texto Fábio! Mas às vezes o fim do mundo não é tão assustador como o fim do mês...rsrsrsrsrs.

Fraterno abraço!

Inez disse...

Gostei bastante do conto, no início pensei que seria algo totalmente diferente do que é de fato.
Acho que é uma estória que tem um fundo real, na virada do século muitos esperavam o final do mundo, agora esperam para o ano 2012.

lopes disse...

Gostei do seu conto, achei criativo como todo, mas chamo atenção pelo modo como vc o iniciou, prende o leitor!

Parabéns!

Sorte!

http://identidade-cultural.blogspot.com/2009/07/aqueles-dois.html

Fabrício disse...

E a internet mais uma vez me surpreende com um excelente blog. Este anúncio do fim do mundo faz o ser humano mostrar-se o mais verdadeiro em suas vontades.
Interessante demais.

www.diariodocliente.blogspot.com

lauri disse...

Ótimo. Lembrei dos suicidas japoneses que esperaram a passagem de um cometa para cometerem o ato em conjunto. Cometas sempre trazem uma áurea mística em suas caudas.

dispensaveis disse...

O fim do mundo é uma farsa e sempre será!