quinta-feira, 17 de setembro de 2009

O homem que odiava espelhos!



Era a terceira cidade em um ano. Gostava dessa última. Tinha opções de divertimento embora não mais soubesse o que era isso. Pessoas alegres e de aparência saudável com suas crianças pelas alamedas ensolaradas, shoppings movimentados, cores, odores e sabores nas mesas postas nas calçadas das ruas principais, onde tagarelantes e semi-embriagados amigos curtiam um happy hour sem compromisso de falarem verdades embalados por shopp gelado.
Iria ficar. Desta vez iria ficar.
Bobagem! Não ia e sabia disso. A fuga continuaria como vinha sendo nos últimos anos. Exatamente igual. Acordaria encharcado de suar no meio da madrugada com o coração prestes a sair pela boca, inundado daquela terrível sensação de abandono completo, de não pertencer àquele lugar,ao contexto e a absolutamente tudo que ali estivesse. Sentiria falta falta de algo que nunca lhe pertenceu. Não reconheceria a companheira de cama que dormia um sono plácido ao seu lado. Aí teria que partir imediatamente.
Desta vez seria muito difícil. Gostava realmente da mulher que trabalhava no mesmo restaurante em que era lavador de pratos. Haviam saído algumas vezes e ela o levara até sua casa onde mostrou sua antiga coleção de vinis e K-7´s .Algo nela o tocou. Algo profundo e doloroso. Uma solidão quase palpável. Ela representava perigo.
Por que tinha de ser assim? Se fizera essa pergunta centenas de vezes. Que tipo de sina o acompanhava naqueles últimos anos? Fatalidades aconteciam com todo mundo. Teria de vencer os fantasmas. Mas era fraco, fraco demais.
Já não sabia mais se o medo era de ser encontrado ou encontrar. Mudara o estilo de vestir, o cabelo e até o jeito de caminhar para não se reconhecer. Nada adiantou. Ainda teria que fugir muitas vezes...

27 comentários:

SO.L. disse...

Oh!

"Vou-me embora para Parsádaga!"

Gostei, gostei!

Guigo xD disse...

Cara,gostei muito do texto,realmente muito bom.
Espero q ele pare de fugir e encontre um luga :D

http://ownedando.blogspot.com/

Rafa disse...

Bom o seu conto, adorei a imagens, com passagens bem nostalgica, lembroiu minha infancia...

Fábula “vampírica”...ou seria “vampirista”, quem sabe até “vampiresca”!
Olá!
Acabo de postar no meu blog o texto Fábula “vampírica”...ou seria “vampirista”, quem sabe até “vampiresca”!
Para acessar o texto o link direto é
http://cemiteriodaspalavrasperdidas.blogspot.com/2009/09/fabula-vampiricaou-seria-vampirista.html
Cemitério das Palavras Perdidas
http://cemiteriodaspalavrasperdidas.blogspot.com/

Rômulo Lopes disse...

Muito legal esse texto. Interessante mesmo.

Anderson Dias disse...

texto bacana cara, merecido o premio

torradastostadas disse...

muito bom o texto, gosto muito dos seus contos. o homem sem reflexos. :)

Mayna disse...

Primeiramente parabéns pelo prêmio.

Em relação ao texto, acho que nada adiantou porque ao invés de fugir, ele deveria encarar os problemas de frente. Porque não adianta só mudar por fora. a principal mudança tem que ser no interior.

Blog
http://maynabuco.blogspot.com

Siga-me no Twitter
www.twitter.com/maynabuco

Gutt e Ariane disse...

Adiar o enfrentamento pessoal até quando? A natureza humana é mesmo complexa qdo se trata da psique...

J.Henrique Moreira disse...

Muito bom o texto. Gostei do seu estilo, bem intimista eum certo tom melancolico.
Passa la no meu e da uma sacada.

http://blogdokmaliaum.blogspot.com/
Um abraço

Priscila disse...

O espelho é amigo, mas nem tanto assim, pois não reflete a nossa alma.

O espelho da alma são as palavras ditas durante fortes emoções! A boca só fala do que está dentro dos nossos corações.

Filosofei? Não...

Pri
http://belverede.blogspot.com

Furdunço disse...

nossa mto exotico..adorei o texto hehehee

David Aragon disse...

A mente humana é um labirinto cheio de espelhos e não há como fugir de si mesmo.

Abil. disse...

De alguma forma me lembrou de um texto que eu li uma vez. Um Sr. após se aposentar de mais de anos de profissão não consegue se olhar no espelho, e se ver confortavelmente. Durante dias se mira, ali parado, sem saber o que está errado. Um dia pegou seu velho e castigado uniforme de trabalho, parou em frente ao espelho e disse à si mesmo: "é hora de voltar a trabalhar".

mais ou menos isso. :p

processoburocratico.wordpress.com

ederDBZ disse...

acho que todo mundo, pelo menos uma vez se imaginou livre de todas as amarras que a vida lhe 'proporciona' e fugindo para um lugar que, fisicamente não existe...

♪ Viíh disse...

Adorei o texto. Perfeito.!
Parabéns pelo Blogger.!
Comente lá no meô tbn.! Pliix.!
Abraxôs ;D

Avassaladoras Rio disse...

Querido amigo avassalador...
Minha avó, mulher brava, paraibana me ensinou uma vez:"Onde vai o cachorro, vão as pulgas"... ou seja, não adianta fugir para nenhum lugar pois os problemas estrão lá com vc tal qual as pulgas de um cão sarnento.
Enfrentar resolver ou não. Afinal, Não tambem é uma resposta possivel, mas pelo mesno é uma resposta..
Bonito conto.

Wander Veroni disse...

Parabéns pelo conto! Deve ser horrível ter que viver asim fugindo ou se encondendo...é muito complicado.

Abraço,

http://cafecomnoticias.blogspot.com

Jean Coelho disse...

bem criativo! vc tem um grande talento pra escrever!!

The Blower's Daughter disse...

Fugir, definitivamente, ñ é a melhor solução... Enquanto os problemas ñ forem encarados, a fuga sempre será uma válvula d escape até o momento em q a pessoa se verá mergulhada em solidão, vazio e recordações.
Mas a maioria das pessoas são fracas sim. E fogem sempre, mais uma vez...
Adorei seu blog e vc escreve MT bem!
Parabéns msm!!!
xDDD

www.fantasmadeumarosa.blogspot.com

Will disse...

sensacional seu conto se certa forma me identifiquei !!!


www.ruivosuburbano.blogspot.com

Pedro Tavares disse...

Uma hora ele para de fugir e vai enfrentar esse espelho...

Vini e Carol disse...

Se descobrir é relmente algo dificil, porque às vezes é uma coisa que você preferia não saber, para não ter que encarar, superação pessoal é um dos maiores limites a ser ultrapassado.
Ótimo texto.

Beijos, Carol.

Tute Braga disse...

Adoro contos! E adorei o seu!!!
Parabéns pelo blog!
=)

Bjs

Kelly Christi disse...

Dificil alguém não gostar dos reflexos que vivemos, desses espelhos que tornam o ser humano artificial...

bjs

http://www.pequenosdeleites.blogspot.com

David Aragon disse...

Os espelhos são signos da duplicidade da alma humana e você conseguiu explorer esse aspecto. Bem escrito o conto.

palavras ao vento disse...

muiot bom o texto...eu li o de cima e gostei...desse tb..e bom achar blog com conteudo...

Sopa disse...

ótimo texto

escrever é tão bom,
e achar um bom escritor.. melhor ainda

li, e reli, e digo, ficou bom.

parabens :]